sábado, 24 de julho de 2010

Almoço da Confraria do Pina

          No almoço de hoje fizemos o trivial, com classe: matrinxã assada, acompanhada de arroz, farofa e salada com palmito fresco e beterraba.


          Como sobremesa, abacaxi ao mel.
          O vinho, português com certeza. Do Douro.
          Tudo tão simples, que só provando.
          Os convivas não deixaram sobras. Bom sinal. Marco Adolfs, sua esposa Dora, Mauri Marques, Zemaria Pinto e Luiz Bacellar se deliciaram com as matrinxãs sem espinhas.


          Para quem não conhece, aproveito a oportunidade para falar um pouco sobre a matrinxã, que faz parte da riqueza ictiológica do Amazonas, e é considerada um dos peixes mais saborosos, apenas com o inconveniente de possuir muitas espinhas.
          Anos atrás um italiano trouxe para cá a técnica de tirar totalmente as espinhas da matrinxã, antes de ser cozinhada, dando um novo incremento ao consumo desse peixe teleósteo, da família dos caracídeos, abundante nos rios do Amazonas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário